O que são aditivos e qual a sua importância?

Os óleos lubrificantes se apresentam das mais diferentes formas. Podem ser gasosos, líquidos, semissólidos ou sólidos. Existe uma grande quantidade de formas e substâncias que são consideradas lubrificantes, mas os líquidos e os semissólidos são os mais utilizados.

Além disso, a natureza dos óleos lubrificantes é variada. Eles podem ser de origem animal, vegetal, mineral (derivados de petróleo), sintéticos (produzidos em laboratórios) ou ainda uma mistura de dois ou mais tipos de óleos diferentes (que formam os óleos compostos).

Os lubrificantes animais e vegetais geralmente são usados isoladamente para a lubrificação, uma vez que apresentam baixa resistência à oxidação. Já os sintéticos, por serem muito mais caros, são usados nos casos em que outras substâncias não consigam a mesma eficiência. Os óleos minerais, por sua vez, são os mais empregados e de fácil obtenção.

Durante muito tempo, o óleo mineral puro foi utilizado para realizar a lubrificação dos componentes dos equipamentos, mas, conforme a descoberta dos aditivos, houve uma mudança no tipo de lubrificante utilizado.

Em geral, os aditivos são compostos químicos, que, ao serem adicionados aos óleos lubrificantes, melhoram essa característica. Além disso, os aditivos são usados para reduzir as características indesejáveis dos óleos e realçar as desejáveis.

Para entender de outra forma, basta pensar que os aditivos para lubrificantes apresentam uma característica bem simples de melhorar a performance, por meio da modificação e potencialização das propriedades dos óleos.

Os aditivos apresentam uma importância muito grande para os motores a combustão, principalmente aqueles que são movidos pela queima do diesel.

Com o aumento da tecnologia desses motores, novos componentes eletrônicos se tornaram parte integrante, o que acabou por ocasionar alguns problemas, como entupimento dos bicos injetores ou corrosão de todo o sistema injetor.

Para resolver esses problemas, e evitar o desgaste das peças para prolongar a vida útil, a ideia foi tornar o lubrificante mais estável quimicamente. E é exatamente nesse contexto que se utiliza o aditivo, que, ao ser misturado com o óleo, melhora a sua performance.